quinta-feira, setembro 21, 2006

Furaquinhos

No nosso cantinho à beira-mar plantado não precisamos de furacões para que se gere a confusão total - qualquer "furaquinho" faz o serviço.

Chuva forte, greve do metro de Lisboa, e uma auto-estrada transformada numa piscina são suficientes para lançar o caos durante o dia inteiro. Às 8 da manhã, a fila na A5 atinje já os 15 km.


Não me surpreende - às 7 horas vi eu um carro a despistar-se e outro a escapar por uma unha negra. Mesmo que a velocidade tenha tido alguma influência, o facto é que a auto-estrada tinha pelo menos 3 ou 4 locais onde a água acumulada não andaria longe de um palmo de altura.
Como é que isto é compatível com a obrigação da Brisa em garantir uma estrada segura, não sei.

1 comentários:

Em 11 outubro, 2006 22:39, Anonymous capitolina disse...

Pois!... As estradas exigem que exijamos outra exigência aos responsáveis. Mas... enquanto estas forem as estradas que temos, filho meu tem o dever de adaptar a sua velocidade à realidade que sabe existir.

 

Enviar um comentário