segunda-feira, outubro 09, 2006

Notas de um dia a dois (4)


Almodovar volve ao seu melhor nível. Com menos prostitutas, menos drogadas e menos travestis do que nos primeiros tempos, mas com as mesmas histórias de mulheres, sempre unidas, sempre elas. Almodovar dispensa os homens, relegados a meros (e raros) figurantes. E alguém lhes sente a falta?

2 comentários:

Em 10 outubro, 2006 00:22, Blogger Gama Franco disse...

Fiquei rapidamente surpreendido (mais uma vez) quando o filme começa com a cena muito bem filmada do cemitério. É incrível a forma como Almodôvar nos consegue agarrar ao primeiro segundo do filme. A partir daí só se consegue desviar os olhos e respirar com calma quando o filme acaba. Como disseste e bem, mesmo sem recorrer a travestis e prostitutas, o 'Pedro' consegue surpreender, chocar e encantar. E mais uma vez a banda sonora foi muito bem escolhida, ficando a merecer um lugar na prateleira para aqueles momentos especiais...
E que não se diga que de Espanha nem bons ventos nem bons casamentos, porque este senhor já nos tem dado algumas lições de cinema.

 
Em 11 outubro, 2006 22:51, Anonymous capitolina disse...

Eu recomendei a dezenas de pessoas o filme para ao menos verem aquele fantástico início, ainda que não tivessem tempo para mais. Verdadeiramente delirante.

 

Enviar um comentário