quinta-feira, julho 13, 2006

Religião - a raíz do mal?

A propósito deste meu post sobre ateísmo:

Vi recentemente o documentário “The Root of All Evil?”, da autoria de Richard Dawkins, e transmitido há poucos meses no Channel 4 britânico.
Dawkins, cientista conhecido pela sua luta contra as teorias do creacionismo e contra o que alega serem os perigos da religião, afirmou, na sequência dos ataques de 11 de Setembro de 2001:

Many of us saw religion as harmless nonsense. Beliefs might lack all supporting evidence but, we thought, if people needed a crutch for consolation, where's the harm? September 11th changed all that. Revealed faith is not harmless nonsense, it can be lethally dangerous nonsense. Dangerous because it gives people unshakeable confidence in their own righteousness. Dangerous because it gives them false courage to kill themselves, which automatically removes normal barriers to killing others. Dangerous because it teaches enmity to others labelled only by a difference of inherited tradition. And dangerous because we have all bought into a weird respect, which uniquely protects religion from normal criticism. Let's now stop being so damned respectful!


No final do documentário, Richard Dawkins cita Steven Weinberg, Nobel da Física em 1979:

Religion is an insult to human dignity. With or without it you would have good people doing good things and evil people doing evil things. But for good people to do evil things, that takes religion.

A ver, sem preconceitos.

Links para o documentário (em inglês, sem legendas):
Parte 1
Parte 2

3 comentários:

Em 13 julho, 2006 15:51, Blogger Flower disse...

Acho que tudo o que é levado ao extremo é muitíssimo perigoso, é a precedência das obsessões. E na religião isto é particularmente delicado,uma vez que o ser humano ten necessidade de acreditar em algo e de seguir os seus pares.

Falando das minhas convicções pessoais, apesar de não acreditar em deus como entidade superior criador da terra e de todos os seres (pois a minha formação não o permite), a verdade é que existem sempre momentos em que, conscientemente ou não, estendo a compreensão dos acontecimentos para algo exterior ou inacessível ao ser humano. Posso chamar-lhe universo, natureza, deus ou energia, mas a verdade é que como ser material que sou, esta massa não me explica na totalidade. Desta forma, procuro indagar até que ponto é que essa imaterialidade pode afectar-me emocional e espiritualmente. Porque afinal, sou um animal mas, ao contrário das tartarugas, o meu corpo não chora para se equilibrar homeostáticamente.

Tudo isto só para dizer que acredito que somos serescomplexos e que tendemos para + infinito!

Beijinho

 
Em 15 julho, 2006 16:41, Anonymous nuno disse...

(...)But for good people to do evil things, that takes religion.

esta frase do weinberg ilumina-me. ;-)

 
Em 17 julho, 2006 19:22, Anonymous Lago disse...

A religião pode ser a heroína da humanidade...diria Marx hoje?

"Pode" por recordar-me que ela, por vezes, criação humana ou revelada, pode ser libertadora ou tornar-se castradora.
São tantos os exemplos...em seu nome levantaram-se povos e esmagaram-se outros..fizeram maravilhas e atrocidades.

Contudo, ela preenche o vazio que a ciência não explica.

 

Enviar um comentário